As 5 principais habilidades para se tornar um desenvolvedor de aplicativos

A indústria para desenvolvimento de aplicativos móveis continua a crescer à medida que os dispositivos móveis se tornam o centro de comunicação e trabalho. Em um ritmo impressionante, os negócios e o desenvolvimento tecnológico surgiram, causando uma demanda crescente por desenvolvedores de aplicativos móveis experientes.

O desenvolvimento de aplicativos móveis envolve um conjunto de procedimentos que envolvem programação e criação de software ou aplicativos projetados para dispositivos portáteis de operação rápida, como smartphones e tablets. Em muitos aspectos, é semelhante ao desenvolvimento de aplicativos da Web, mas a diferença é que os aplicativos móveis geralmente são desenvolvidos para serem especificamente adaptados às funções especiais do dispositivo que está sendo usado. Por exemplo, no caso de um aplicativo de jogo desenvolvido para um telefone da plataforma Android, pode ser vantajoso utilizar o acelerômetro do telefone para oferecer uma experiência de usuário única.

Habilidades de um desenvolvedor

Não é só quem tem conhecimentos de informática pode desenvolver aplicativos móveis. Em vez disso, um conjunto de habilidades específicas é necessário para esses desenvolvedores.

1. Design da interface do usuário móvel

Provavelmente, o aspecto mais importante do desenvolvimento de aplicativos para dispositivos móveis é a criação de uma interface de usuário (UI) de alta qualidade. A interface do usuário de um aplicativo é responsável pela interação entre o usuário e o software. Quando se trata de desenvolver aplicativos móveis, não basta que eles simplesmente tenham uma funcionalidade de back-end adequada. Com uma infinidade de aplicativos disponíveis para download, os mais atraentes são os aplicativos fáceis de usar, com um design superior e funcionando sem problemas.

Elementos principais do design da interface do usuário:

  • Componentes são onde o usuário provavelmente espera
  • Bom uso de um esquema de cores unificado
  • Carregamento rápido e operação do aplicativo
  • Ajuda geral, dicas básicas
  • Indicadores de atividade

2. Desenvolvimento de Aplicativos entre Plataformas

Para um desenvolvedor, é vital ter conhecimento de várias plataformas de operação no setor atual. Quanto à penetração no mercado, existem três grandes plataformas móveis: Android, iPhone e Windows Phones. Um desenvolvedor de aplicativos especializado não é apenas experiente e capaz de codificar em uma plataforma, mas é versátil o suficiente para criar aplicativos em qualquer plataforma para qualquer dispositivo. Isso leva ao caminho para uma gama mais ampla de possibilidades e um perfil de desenvolvedor brilhante.

3. Computação Backend

Isso pode envolver:

  • Segurança
  • Gerenciamento de banco de dados
  • Interação de hardware
  • Implementação de alocação de memória

4. Habilidades Modernas de Programação Linguística

Outra importante habilidade necessária para desenvolver aplicativos móveis é o conhecimento de programação usando linguagens de programação modernas.

Todos juntos, a programação pode incluir várias coisas:

  • Experiência com linguagens de programação comumente usadas como C # e Java
  • Treinado em linguagens de desenvolvimento web como HTML 5 e CSS
  • Familiarizado com interfaces de programação de aplicativos de plataforma móvel (API), como Apple iOS, Android e Windows Mobile
  • Capaz de implementar o uso de suítes móveis de plataforma cruzada, como Antena e AMP (Contabilidade-Gerenciamento-Promoção).

5. Capacidade de Negócio

Capacidade de negócios e expertise são essenciais para conquistar a concorrência. Muitas pessoas podem ignorar esse detalhe, mas as habilidades empresariais tendem a desempenhar um papel crítico nesse campo. Como já mencionei, é necessário que um aplicativo seja capaz de se destacar entre os concorrentes. Isso não é alcançado apenas pela experiência do usuário altamente elogiada do aplicativo, mas precisa ser vista primeiro. Os desenvolvedores devem saber como otimizar a visibilidade de um aplicativo na lista de aplicativos disponíveis da mesma categoria. Assim como todos os outros componentes, o lado comercial e de marketing do desenvolvimento de aplicativos deve ser levado a sério.

Vantagens De Ser Um Freelancer

Vantagens De Ser Um Freelancer

Quem nunca sonhou em trabalhar naquilo que ama, gerenciando seu tempo e ainda sobrando tempo para fazer aquela viagem dos sonhos?

Pois bem, nada disso pode longe de conquistar, basta tirar os sonhos do papel e começar a planejar como será seu financeiro para que você alcance aquilo que almeja.

Seja uma viagem para aquele lugar incrível para explorar, acomodações confortáveis ou aquela tranquilidade de um ambiente paradisíaco. Tudo isso só é possível se você planejar com antecedência.

Isso inclui verificar as formas de deixar sua viagem mais segura, aproveitando as cotações e opções online que te auxiliam na escolha do melhor pacote para viajar.

O pacote de viagem pode ser uma ideia longínqua quando se pensa nos valores, mas existem muitos sites de agências de viagens que oferecem melhores condições e de forma segura.

Neste sentido, trabalhar como Freelancer, pode ser uma ótima opção para quem quer ganhar aquele dinheiro extra para sua tão sonhada viagem.

Além disso, o sistema home office traz muitas outras vantagens para quem quer um segundo plano para alcançar aquele sonho que parece tão longe. 

O Perfil Do Freelancer

Trabalhar como “freela” pode ser uma alternativa assertiva, pois esse é o tipo de serviço que mais cresce atualmente.

Com um vasto leque de serviços contratados de maneira online, existem diversas plataformas que procuram esse tipo de profissional.

O perfil do freela deve apresentar habilidades que compreendem responsabilidade de entregar o serviço com qualidade, cumprimento de prazos acordados com o contratante e estar sempre se atualizando acerca de sua profissão.

Para trabalhar de freelancer, você precisa determinar o tipo de serviço que irá prestar, seja como redator para blog, designer gráfico ou até  desenvolvedor de software.

Todas essas profissões exigem que você saiba conciliar como trabalhar em casa e ainda construir sua rede de network.

Vantagens De Trabalhar Como Freelancer 

Existem muitas vantagens em ter seu próprio negócio, por vezes fazendo aquilo que você tanto desejou fazer.

Hoje, iremos listar 7 vantagens de trabalhar na internet como freelancer, com os desafios de trabalhar de forma autônoma e satisfatória.

 

  1. Trabalhar como freela poderá ajudar a realizar seu sonho: Se você tem o sonho de viajar, por exemplo, o trabalho extra como freelancer poderá te ajudar no financiamento do seu projeto, seja para arcar com algumas despesas ou para ficar uns diazinhos a mais em sua viagem.
  2. Você trabalha de onde quiser: Essa é um dos benefícios que mais levam pessoas a oferecer serviços de maneira online, pois mesmo se você estiver em sua viagem, poderá trabalhar em seu projeto.
  3. Gerencia seu próprio tempo: Com os serviços online você tem liberdade de gerenciar seu tempo, organizando um limite de horário máximo para seus projetos e ainda aproveitando os momentos de lazer no seu dia.
  4. Adquire conhecimentos sobre variados assuntos: Se o seu serviço é de redator, por exemplo, você terá acesso a diversos assuntos, com temas que abrangem o blog ou site em questão.
  5. Autonomia nas escolhas de projetos contratados: Contudo, se não se sente habituado ou confortável para realizar determinado projeto, é só ignorar, pois você tem autonomia para escolher quais são os projetos de seu interesse.
  6. Gastos com despesas são menores: As únicas despesas que talvez você terá com o freelancer são os pagamentos de algumas plataformas de contratação de projetos ou para adquirir curso online como forma de se aperfeiçoar e aprender.
  7. Você cria o hábito de se organizar: A organização é uma das chaves do sucesso em seu negócio, sem organizar o tempo, o dinheiro e suas tarefas você não conseguirá alcançar sua realização como profissional.

Por isso, o trabalho como freelancer vai depender do seu planejamento, em conciliar muitas vezes com seu trabalho principal, e tornar seu dia mais produtivo.

Mas no fim, todo o esforço pode valer a pena, principalmente se você conseguir realizar aquele sonho que já foi por vezes adiado.

Vantagens de ser um desenvolvedor de software

Ao contrário do que muitos podem pensar, desenvolver software não é apenas para os magos dos computadores, é para todos.

Se você tem dúvida sobre qual carreira seguir e adora tecnologia, talvez a área de engenharia de software seja a ideal para você. Por isso, nós da Prof Certo, fizemos destacamos um conjunto de vantagens de ser um desenvolvedor de software.

Os cursos costumam ser rápidos

Se você se interessa por aprender a ser um desenvolvedor, um curso de programação muitas vezes, é inferior a 6 meses para capacitação.

Por exemplo, a Danki Code possui treinamentos a um custo acessível e práticos, e com certeza, tornarão seu currículo altamente atrativo para empresas.

Até possui o currículo mais completo, no entanto, no mercado de trabalho a maior parte dos alunos desses cursos irão trabalhar para empresas como estagiários ou Trainee. Assim que tiverem mais experiência na área, poderão evoluir rapidamente na carreira.

O salário é bom

Um principiante de desenvolvimento não ganha mais que o de outras carreiras, porém frequentemente duplica ou triplica com o passar dos anos.

Este processamento de ter grandes aumentos de salário é comum no início da trajetória, no qual você pode iniciar com R$2000,00, no ano posterior já estar com R$5000,00 e no próximo ano R$7000,00.

Além disso, a responsabilidade de um salário alto não é tão grande como a de outras áreas, no qual é preciso ser um diretor, um engenheiro ou um médico.

Dificilmente está desempregado

Mesmo em tempos de crise, a setor de tecnologia foi um dos poucos setores que continuou a crescer.

A quantidade de vagas é grande, uma vez que um projeto envolve muitas indivíduos e áreas de entendimento, e companhias de grande peso são capazes de ter mais de 100 esboços acontecendo ao mesmo tempo.

É quase improvável ficar desempregado por bastante tempo estando próximo aos grandes centros de tecnologia.

Pode trabalhar de casa

Já que tudo o que um programador necessita para trabalhar são um computador e conexão com a Internet, não é preciso ir para para um local físico para trabalhar.

O home-office tem se popularizado, uma vez que as companhias perceberam que são capazes de diminuir seus custos e dar mais qualidade de vida para seus funcionários. Seus trabalhadores não precisam perder tempo na condução até chegar ao serviço.

Trabalhar de casa permite trabalhar para qualquer empresa do mundo e não somente da sua região.

Faz novas amizades

Ao contrário da crença popular, um desenvolvedor não é antissocial.

A maior parte tende a apoiar de uma ou mais negócios do universo nerd como games, quadrinhos, animes e livros.

E dessa forma, trabalhar com pessoas com os mesmos interesses é possível fazer mais amizades, e não somente colegas de trabalho, que compartilham dos mesmos gostos que você.

O que é Arduino

Muito se fala do Arduino entre desenvolvedores de software e quem está começando a trabalhar com a eletrônica. Mas afinal, o que é o Arduino? Neste artigo, vamos falar um pouco sobre essa plataforma de código aberto capaz de ajudar na construção de projetos eletrônicos.

Graças à sua experiência de usuário simples e seu preço acessível, Arduino tem sido utilizado em milhares de projetos e aplicações diferentes.

O software Arduino é fácil de usar para iniciantes, mas flexível o suficiente para usuários avançados.

Ele funciona em Mac, Windows e Linux. Professores e alunos podem usa-lo para construir instrumentos científicos de baixo custo, para provar conceitos ou para começar com programação e robótica.

Designers e arquitetos constroem protótipos interativos, músicos e artistas podem usar a plataforma para instalações e para experimentar novos instrumentos musicais. Fabricantes, é claro, usá-lo para construir muitos dos projetos.

Arduino é uma ferramenta chave para aprender coisas novas. Qualquer um pode começar a aperfeiçoar apenas seguindo as instruções passo a passo de um kit, ou compartilhar idéias online com outros membros da Comunidade Arduino.

Como você verá neste artigo, Arduino é um microcontrolador totalmente programável. Se você quiser conhecer mais sobre a plataforma, recomendamos o Curso de Arduino.

O que é o Arduino?

Arduino é um microcontrolador básico, de placa única, projetado para fazer aplicações, controles interativos ou ambientes facilmente adaptáveis.

O hardware consiste de uma placa projetada em torno de um microcontrolador de 8 bits ou de 32 bits. Os modelos atuais apresentam coisas como uma interface USB, entradas analógicas e pinos GPIO que permitem ao usuário anexar placas adicionais.

Foi inicialmente introduzida em 2005. Foi projetada para fornecer uma maneira mais barata estudantes e profissionais para criar aplicações que consigam fazer interface com sensores, motores e outros produtos tipos de hardwares.

Aplicações comuns para estudantes ou inexperientes são robôs simples ou detectores de movimento. Ele oferece um IDE simples integrado (ambiente de desenvolvimento integrado) que funciona em computadores pessoais regulares e permite que os usuários escrevam programas para Arduino usando C ou C++.

Por que usar o Arduino

As placas de Arduino são relativamente baratas em comparação a outros microcontroladores. O mais barato pode ser montado manualmente, e custa em torno de 50 dólares.

O Arduino também funciona em diversas plataformas, como Windows, Linux e MAC Os. Também há um ambiente de programação simples, excelente para iniciantes, mas flexível o suficiente e cheia de recursos para profissionais.

Além disso, é uma plataforma open source, isso quer dizer que pode ser estendida por outros desenvolvedores.

Como aumentar seu negócio em 2019

Se o seu pequeno negócio está em pleno funcionamento, pode ser hora de pensar em ir para o próximo nível. Talvez você queira alcançar novas perspectivas e estratégias, oferecer novos serviços, ou tomar o seu negócio em uma direção completamente diferente.

Seja qual for o seu objetivo, terá de fazer alterações para preparar o crescimento do seu negócio e criar oportunidades de expansão.

Neste artigo, vamos te dar algumas dicas para aumentar seu negócio.

Tenha uma perspectiva clara

A maioria das pessoas que trabalham estão ocupadas demais e raramente investem tempo pensando em seus negócios, principalmente: não pensam sobre o que está funcionando e o que não está.

Antes de iniciar um plano de crescimento, reserve algum tempo para refletir sobre seu trabalho. Não se limite a rever planilhas e dados. Considere rever também seus processos e as partes relacionadas com o relacionamento de sua operação.

Crie um bom ambiente

Convide seus colaboradores e parceiros sessões de brainstorming. Crie um espaço seguro para que eles ofereçam suas perspectivas sobre como seu negócio, o que está indo bem e também o que está indo mal.

Encorajá-los a partilhar as suas visões para o futuro.

Você vai se surpreender com os insights que você vai ganhar, porque as pessoas vêem as mesmas coisas de maneiras diferentes. Além disso, seus colegas de trabalho apreciarão ter uma mão em moldar o futuro da empresa para a qual trabalham.

Atualize seu plano de negócios

Pense no seu plano de negócios como um verdadeiro guia, não um mapa impresso.

Para alcançar seus objetivos de negócios de curto e longo prazo, ele deve ser atualizado regularmente para enfrentar as barreiras atuais e aproveitar as oportunidades.

As melhores práticas são rever e atualizar o seu plano uma vez por ano, ou mais frequentemente se surgirem grandes oportunidades ou se depararem com barreiras significativas.

Obtenha novas ideias

Assinar revistas e publicações do seu mercado, assistir a conferências e ter aulas pode parecer caro e desnecessário para alguns.

No entanto, fazer isso é uma forma crítica de se manter atualizado sobre as últimas tendências. Irá ajudá-lo a identificar novas oportunidades e tecnologias que possam fornecer formas focadas no futuro para crescer a sua empresa.

Veja o que seus concorrentes estão fazendo

Saiba mais sobre os concorrentes e como eles estão progredindo. Na era de hoje do marketing digital e sua capacidade de expandir o alcance, é mais importante que nunca.

Saiba que tipos de serviços eles oferecem para ver se sua empresa está alinhada as mesmas perspectivas do mercado.

Além disso, veja onde há lacunas no que eles fazem, seja como um concorrente ou um parceiro. Tome nota das campanhas de marketing e táticas que eles usam que podem ressoar com a sua base de prospectos.

Invista num sistema de gestão de clientes

Manusear suas interações de marketing e vendas consome tempo e provavelmente vai tornar impossível para você crescer sua base de clientes.

Invista em um sistema que automatiza e rastreia essas funções.

A despesa será mais do que compensada no tempo que você economizar e quantidade de novos negócios que você atrair.

Identifique seus melhores clientes

Apresente uma lista dos seus melhores clientes – aqueles que são mais rentáveis e aqueles com quem é fácil trabalhar. Você pode simplesmente entrevista-los e perguntar se há algo mais que podem fazer juntos.

Faça novas ofertas para seus clientes atuais

Quando se trata de gerir relacionamentos com clientes, é importante manter-se presente.

Se não entrar em contato com clientes atuais, pode estar a perder oportunidades para melhorar a sua relação. Poderão igualmente considerar a possibilidade de transferir os seus contratos para concorrentes de que tenham conhecimento.

Embora possa ser impossível ligar regularmente ou encontrar-se com cada cliente pessoalmente, você pode fazê-lo virtualmente.

Considere expandir a sua presença nas redes sociais ou implementar um boletim de e-mail regular.

Pense em novas oportunidades

Seja criativo criando as melhores maneiras de se conectar porque pessoas diferentes interagem com diferentes mensagens e mídia.

As pessoas mais jovens podem ser mais propensas a responder ao conteúdo distribuído através de certos canais sociais.

Uma vez que você descobriu como se conectar com essas pessoas, trabalhar com redatores, designer, ou agência para desenvolver ativos de marketing. Não faça sozinho, a não ser que queira uma carreira na área de redação e design.

Programe suas estratégias e táticas de marketing e vendas em seu sistema de gerenciamento de cliente para automatizá-las. Isso irá ajudá-lo a rastrear a sua eficácia para que você possa fazer ajustes com base no que você aprender.

O Que Não Fazer Na NR 6

O Que Não Fazer Na NR 6

O Brasil é um dos campeões em acidente de trabalho no mundo. Dados do Ministério do Trabalho e Previdência revelam, que entre 2012 e 2016, mais de 3,5 milhões de casos foram apurados e desses, 13,3 mortes. Em quarto lugar dos países com mais incidentes desse tipo, só perde para Indonésia, índia e China.

Os números assustam e mostram que muito descaso e negligência tanto das empresas como dos empregados, acabam causando situações que muitas vezes se tornam fatais. A NR 6, é a norma regulamentadora que estabelece as regras para haver mais segurança durante o trabalho. O que não fazer na NR 6 e garantir a proteção total para você e seus colegas.

Descumprir A NR 6

Como qualquer norma reguladora, a NR 6 é fundamental para determinar como os trabalhadores podem exercer suas atividades com mais segurança e sem sustos ou preocupações que possam se tornar fatais.

O descumprimento das Normas Regulamentadoras número 6, podem se tornar um hábito muito perigoso e é obrigação da empresa fornecer os equipamentos e fazer o treinamento e garantir que o empregado esteja usando e da maneira correta cada equipamento necessário.

Usar Equipamentos De Péssima Qualidade

 

Muitas empresas para diminuir seus custos, acabam aproveitando o equipamento de outros empregados ou nunca renovam esses equipamentos, deixando que com o tempo e uso, o EPI se torne cada vez mais perigoso para o trabalhador.

É fundamental que a empresa forneça sempre equipamentos novos e em perfeito estado e todas as vezes que for necessário o reparo ou a compra de novos, que ela seja feita e cobrada pelo trabalhador.

Além disso, as empresas devem ter um fornecedor sério e que ofereça apenas equipamentos de excelente qualidade, pois materiais que tenham qualidade duvidosa, podem ser muito mais arriscados do que equipamentos antigos, mas que ainda desempenhem sua função.

Usar Equipamentos Não Fornecidos Pela Empresa

Em outros casos, muitos profissionais se utilizam de produtos e equipamentos próprios e ignoram os equipamentos fornecidos pela empresa por vários motivos, seja por que estão acostumados com seus próprios materiais ou por que não confiam no que a empresa fornece.

Mas segundo a NR 6, as empresas só podem começar uma atividade, se seus empregados estiverem usando os equipamentos cedidos por ela obrigatoriamente, além disso, os profissionais que trabalham devem usá-lo, independente de terem equipamentos próprios. Isso além de uma regra que deve ser cumprida, ainda padroniza os trabalhadores de uma empresa e garantem os direitos e deveres de ambos.

Ter Excesso De Confiança

 

Um problema que assola, principalmente os mais experientes, é o excesso de confiança, uma atitude que pode trazer sérios riscos para um profissional e para a empresa. Muitos profissionais que por exercerem uma atividade por muito tempo, podem crer que não precisem de equipamentos pois conhecem bem seu trabalho.

Aí é que mora o perigo! O excesso de confiança faz com que ignoremos os reais perigos e pode nos colocar em situações de alta gravidade e até a morte. O uso de EPI é sempre primordial e independente da experiência, é sempre bom ter um pouco de medo e manter a cautela e cuidados necessários.

Conheça E Exerça A NR 6 Em Seu Trabalho

A NR 6 é uma norma importantíssima para muitos mercados, em especial da construção civil, onde o uso de equipamentos de proteção, podem garantir a vida e saúde de muitos profissionais.

Além disso, a NR 6 estabelece regras para empresas e garante ao trabalhador a segurança de ter seus direitos respeitados. Aprenda curso online de NR 6 e conheça mais os direitos e deveres que empregados e empresas devem ter para exercer suas atividades com segurança.

SEO: marcação de dados estruturados para páginas de produtos de loja virtual

A marcação de dados estruturados ajuda os mecanismos de pesquisa a identificar as informações do produto e exibir essas informações em resultados avançados, aumentando potencialmente o número de cliques que a página do produto ganhará.

Quando os compradores pesquisam produtos em um mecanismo de pesquisa como o Google ou o Bing, eles provavelmente terão uma longa lista de anúncios e listagens orgânicas relevantes. Se uma página for bem classificada para uma pesquisa de produto específica, seu link e descrição aparecerão na lista de resultados retornados. Mas classificar bem em uma página de resultados de mecanismos de pesquisa é apenas parte da tarefa de uma consultoria SEO.

Marcação estruturada de dados permite excelentes resultados

Uma maneira de se destacar em uma página de resultados de mecanismos de pesquisa é incluir mais ou melhores informações, como uma análise de produto, informações de preço e alguma indicação do nível de estoque.

A imagem abaixo é uma captura de tela de uma página de resultados de pesquisa do Google tirada em 6 de junho de 2016. Observe que o Carregador de Pista Lego Technic Compact foi classificado 10 vezes no site Walmart para uma classificação média de quatro estrelas e meia em cinco. Atualmente custa US $ 14,62 e está em estoque.

Esta listagem da página de resultados de pesquisa do Google mostra os dados estruturados.

Esta listagem da página de resultados de pesquisa do Google mostra os dados estruturados.

O Google entende e exibe essas informações adicionais graças à marcação de dados estruturados nesta página específica de detalhes do produto. Embora o trabalho adicional que o Walmart tenha feito para ajudar a descrever seu conteúdo para o Google possa não afetar a classificação entre os resultados retornados (mais sobre isso abaixo), ele pode ajudar a listagem do Walmart a receber mais cliques da página de resultados do mecanismo de pesquisa.

Marcação de dados estruturados com vocabulário de microdados

O Microdata é um padrão da Web usado para “anotar conteúdo com etiquetas legíveis por máquina específicas”. Efetivamente, ele coloca pequenos pedaços de marcação em linha com outro HTML para melhor descrever o conteúdo HTML associado.

O Google e o Bing podem entender os microdados relacionados ao produto com o produto, a oferta e o vocabulário do Schema.org .

A implementação de microdados de vocabulário do Schema.org em uma página de detalhes do produto de loja virtual começa com o elemento mais externo que envolve as informações do produto. Neste exemplo, um div é usado.

<div itemscope itemtype = "http://schema.org/Product">
    ...
</ div>

No curso normal da apresentação da página de detalhes do produto, identifique informações adicionais sobre o produto usando uma propriedade itemprop .

<div itemscope itemtype = "http://schema.org/Product">
    <h1 itemprop = ”name”> Algum Produto Incrível </ h1>
    <img src = ”some-amazing-product.png” alt = ”Imagem surpreendente do produto” itemprop = ”image” />
    <p itemprop = "descrição">
        Este é um produto realmente incrível. Na verdade, achamos que você ficará surpreso.
        <span itemprop = ”sku”> 123456789 </ span>
    </ p>
</ div>

Observe no exemplo acima, o nome do produto, a imagem, a descrição e a unidade de manutenção de estoque (SKU) são todos identificados usando o vocabulário do produto Schema.org .

Há também um vocabulário do Schema.org para descrever as classificações do produto . No código abaixo, aggregateRating , ratingValue e reviewCount são usados ​​para ajudar os mecanismos de pesquisa a identificar a classificação do produto e permitir que eles a mostrem em um resultado avançado .

<div itemscope itemtype = "http://schema.org/Product">
    <h1 itemprop = ”name”> Algum Produto Incrível </ h1>
    <img src = ”some-amazing-product.png” alt = ”Imagem surpreendente do produto” itemprop = ”image” />
    <p itemprop = "descrição">
        Este é um produto realmente incrível. Na verdade, achamos que você ficará surpreso.
        <span itemprop = ”sku”> 123456789 </ span>
    </ p>
    <div itemprop = "aggregateRating" itemscope itemtype = "http://schema.org/AggregateRating"> 
        <span itemprop = "ratingValue"> 4 </ span> estrelas, com base em 
        <span itemprop = ”reviewCount”> 1.987 </ span> comentários. 
    </ div> 
</ div>

Por fim, pode-se adicionar informações sobre os níveis de preço e inventário do produto usando o vocabulário de oferta do Schema.org .

<div itemscope itemtype = "http://schema.org/Product">
    <h1 itemprop = ”name”> Algum Produto Incrível </ h1>
    <img src = ”some-amazing-product.png” alt = ”Imagem surpreendente do produto” itemprop = ”image” />
    <p itemprop = "descrição">
        Este é um produto realmente incrível. Na verdade, achamos que você ficará surpreso.
        <span itemprop = ”sku”> 123456789 </ span>
    </ p>
    <div itemprop = "aggregateRating" itemscope itemtype = "http://schema.org/AggregateRating">
        <span itemprop = ”ratingValue”> 4 </ span> estrelas, com base em 
        <span itemprop = ”reviewCount”> 1.987 </ span> avaliações.
    </ div>
    <div itemprop = ”ofertas” itemscope itemtype = ”http://schema.org/Offer”> 
        <meta 
        itemprop = ”preco” < 
= USD $ /> $ <span itemprop = ”price”> 9.99 </ span> |         <span itemprop = ”availability”> Em estoque </ span> 
    </ div> 
</ div>

Você pode encontrar uma propriedade Schema.org para praticamente qualquer coisa que você queira descrever em uma página de detalhes do produto. Depois de ter alguma marcação de dados estruturados, você pode até testar sua validade usando a Ferramenta de teste de dados estruturados do Google .

Marcação estruturada de dados com JSON-LD

Recentemente, o Google começou a preferir o JSON for Linking Data ou o JSON-LD aos microdados. JSON-LD tem vantagens sobre os microdados, incluindo ser separado – ou seja, dentro de uma tag de script aninhada no cabeçalho do documento – da marcação HTML. No momento em que este artigo foi escrito, o Bing ainda não suportava o JSON-LD para marcação de dados estruturados.

Para JSON-LD, comece com uma tag de script, definindo o tipo como “application / ld + json”.

<script type = "aplicativo / ld + json">
    ...
</ script>

Em seguida, escreva o objeto JSON-LD. Observe que o contexto aponta para o Schema.org no exemplo. Assim, você pode usar as mesmas propriedades descritas na seção de microdados acima.

{
    "@context": "http://schema.org/",
    "@tipo": "Produto",
    "name": "Some Amazing Product",
    "image": "some-amazing-product.png",
    "description": "Este é um produto realmente incrível. Na verdade, achamos que você ficará surpreso.",
    "sku": "123456789",
    "aggregateRating": {
        "@tipo": "AggregateRating",
        "ratingValue": "4",
        "reviewCount": "1,987"
    }
    "ofertas": {
        "@tipo": "Oferta",
        "priceCurrency": "USD",
        "price": "9,99",
        "disponibilidade": "http://schema.org/InStock"
    }
}

A marcação de dados estruturados pode afetar o ranking

A marcação de dados estruturados, implementada com microdados ou JSON-LD, pode permitir resultados ricos, possivelmente aumentando a probabilidade de uma determinada página de produto listar em uma página de resultados de mecanismo de pesquisa ser clicada. Por vários anos, esse foi o principal motivo para incluir a marcação de dados estruturados.

No entanto, em 11 de setembro de 2015, o analista de tendências para webmasters do Google,  John Mueller, disse que dados estruturados “com o tempo podem fluir para os rankings” durante um Hangout da Central do Google para webmasters de uma hora. O comentário de Mueller – veja, aproximadamente, às 21:40 minutos do vídeo – incentivou alguns profissionais de marketing a incluírem uma marcação de dados estruturados.